APQuímica Logtipo

A Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, realizou uma visita de trabalho ao ALGATEC Eco Business Park, na Póvoa de Santa Iria, onde teve ocasião de observar a maior plataforma de produção de microalgas da Europa e de conhecer os projetos que as empresas promotoras (A4F e Green Aqua, com a sua participada HyChem) desenvolvem, com a criação de um cluster de economia circular no eixo Sacavém-Vila Franca de Xira.

 

A visita da governante, que teve a companhia do Presidente e da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Fernando Paulo Ferreira e Marina Tiago, efetuou-se a convite dos conselhos de administração da Algora, SGPS e dos grupos seus acionistas, a A4F Algae for Future e a Green Aqua Company, e teve por objetivo dar a conhecer, no terreno, os projetos inovadores, nos domínios da biotecnologia de microalgas, da sustentabilidade e da neutralidade carbónica, que aquelas empresas vêm desenvolvendo.

 

Trata-se de uma verdadeira transformação industrial que estas empresas portuguesas operaram, no quadro de uma visão estratégica orientada para uma mudança sustentável e que, a curto prazo, tornará, também, o hidrogénio verde numa realidade em Portugal.

 

Com as tecnologias desenvolvidas ao longo dos anos, nomeadamente as resultantes dos trabalhos de projetos de I&D, quer com financiamento europeu, quer nacional, e com a experiência destas empresas, foi possível unir esforços para a elaboração de novos processos e tecnologias para a captura e a utilização de CO2 e para a valorização da biomassa de algas, procurando criar novas oportunidades de negócio e fomentando a reconversão e o desenvolvimento industrial sustentável, num modelo perfeito de economia circular.

 

O ALGATEC Eco Business Park, construído entre 2017 e 2020, e envolvendo um investimento de 22 milhões de euros, é, de longe, a maior plataforma de produção e processamento de microalgas na Europa.

 

O ALGATEC proporcionou já 50 novos postos de trabalho permanente e prevê a criação de mais 50 até final de 2023. Deverá gerar um volume de negócios anual de 10 milhões de euros e poderá consumir mais de 2 mil toneladas de CO2 com origem no complexo industrial da HyChem.

 

O projeto de maior dimensão do Algatec, o BIOFAT.PT, promovido pela Green Aqua Póvoa, tem capacidade para produzir 270 toneladas por ano de microalgas, contando ainda com uma biorrefinaria para a produção de extratos de ómega-3, proteína vegetal e antioxidantes, para aplicações no setor alimentar e na aquacultura.

 

As empresas promotoras do ALGATEC estão empenhadas no desenvolvimento deste conceito de BioCluster – Cluster de Economia Circular no eixo Sacavém-Vila Franca de Xira, replicando o modelo do ALGATEC, contribuindo para a descarbonização e o tratamento de efluentes industriais das grandes indústrias da região, e a transição energética pela produção de energia renovável e a utilização do hidrogénio como vetor energético para a produção e o transporte pesado.

 

Por outro lado, aquelas empresas têm um importante histórico de cooperação com o Sistema Científico Nacional: quase uma dezena de programas de doutoramento em ambiente industrial, na área de biotecnologia e da indústria química, e uma média anual de seis programas de mestrado.

 

Este tema mereceu particular atenção da Ministra Elvira Fortunato, que acentuaria o seu desejo de “incentivar um aumento do número de doutoramentos em empresas”. Uma questão do maior interesse para o concelho de Vila Franca de Xira, como também comentado pelo Presidente Fernando Paulo Ferreira, porquanto a “atração de talento” e a realização de mestrados e doutoramentos em ambiente empresarial constituem boas notícias para a cidade de Póvoa de Santa Iria.